terça-feira, maio 27, 2008

Cheiros

Uma coisa que fiz e só depois, uns dias depois, é que pensei bem no que tinha feito, foi quando vi o Pedro pela primeira vez mesmo antes de lhe falar, beijar, etc eu cheirei-o, no pescoço junto à orelha esquerda. Os bebés podem ser todos muito parecidos quando nascem, o meu eu ia saber identifica-lo pelo cheiro, é um cheiro só dele, doce, inebriante... muito, mas mesmo muito viciante. Ele dorme e eu faço questão de lá ir enfiar o nariz, às vezes frio que o faz estremecer.

"Ela conhecia muito bem o cheiro dos bebés; conhecia-o com toda a precisão. "Pois bem...", começou a ama de leite a dizer, "não têm o mesmo cheiro por todo o corpo, se bem que todo o corpo cheire bem. Por exemplo, os pés têm cheiro de uma pedra macia e quente ou de manteiga fresca... E o corpo cheira a panquecas que tenham sido ensopadas em leite. E as cabeças, no cocuruto e na nuca, onde o cabelo forma um remoinho... é aqui que eles têm o cheiro mais agradável de todos. Cheira a caramelo. A partir da altura em que se cheirou essa região do corpo deles, é impossível não os amar, quer sejam nossos filhos ou de outras pessoas.""
Perfume, Patrick Suskind

Não entendo é como algumas pessoas os enchem de perfumes ou cremes, shampoo, gel de banho com cheiros e perdem aquele maravilhoso cheirinho natural deles.

1 comentário:

Ana e Kiko disse...

k giro, mas realmente é verdade.
beijinho